Blog

-- Seis Sintomas de AVC --

Administrador em 24 de setembro de 2014

Um acidente vascular cerebral (AVC), conhecido popularmente como derrame, acontece quando as artérias que irrigam o cérebro sofrem uma obstrução.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), os acidentes vasculares cerebrais são a segunda principal causa de óbito no mundo — cerca de 7 milhões de pessoas morrem por ano em decorrência do problema.

De acordo com o médico Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do HCor, aproximadamente 80% dos acidentes vasculares cerebrais são isquêmicos, ou seja, ocorrem quando há um entupimento nas artérias que levam sangue ao cérebro. A obstrução é geralmente causada por coágulos sanguíneos formados na parede das artérias doentes ou por pedaços de coágulos desprendidos dessas artérias ou do interior da cavidade cardíaca. Dependendo da região cerebral atingida, o paciente sofrerá sequelas maiores ou menores, podendo até mesmo chegar a óbito.

Em 20% dos casos, o AVC é hemorrágico, quando a lesão cerebral ocorre por um derramamento de sangue no interior do cérebro. O especialista explica que em qualquer tipo de acidente vascular cerebral morrem células nervosas, abaixo alguns sintomas que poderão auxiliar na identificação de um AVC:

 

1 - Fraqueza nos membros: Um sinal típico do AVC é a súbita fraqueza assimétrica dos membros. Geralmente a falta de força acomete um braço, uma perna ou um braço e uma perna em apenas um lado do corpo. A perda de força motora pode variar desde uma fraqueza muito suave até a paralisia total . Uma fraqueza motora súbita e unilateral é típica. Não é comum no AVC ambas as pernas ou ambos os braços serem acometidos ao mesmo tempo, com a mesma intensidade. Dormência, formigamento ou uma sensação de leves picadas de agulhas podem também estar presentes.

2 - Assimetria Facial: A paralisia facial unilateral é outro sinal típico do AVC. O desvio da boca em direção contrária ao lado paralisado é o sinal mais comum e perceptível. a paralisia costuma preservar a metade superior da face, sendo o paciente capaz de franzir a testa e levantar as sobrancelhas. Esta dica é importante porque na paralisia de Bell, quadro causado pela inflamação do nervo facial, toda hemiface do paciente fica paralisada .

3 - Alterações da fala: O paciente com AVC pode apresentar uma gama de distúrbios que no final se caracterizam por uma dificuldade em falar,  o paciente apresenta dificuldade em nomear objetos e coisas. O paciente não consegue falar normalmente pois não consegue dizer nomes simples como cores, números e objetos. Em alguns casos o paciente nem sequer é capaz de repetir uma palavra dita por um familiar. Apresenta certa incapacidade em articular as palavras, falta-lhe habilidade motora para mover os músculos da fala de modo articulado.

4 - Confusão mental: Uma alteração do discurso também pode ocorrer por desorientação e confusão mental. O paciente pode perder a noção do tempo, não sabendo dizer o ano nem o mês que estamos. Pode também ficar desorientado espacialmente, não reconhecendo o local onde está. Estas alterações são comuns em pequenos AVCs em idosos. Múltiplos pequenos AVCs podem levar à demência.

5 - Alterações na marcha: O paciente com AVC pode ter dificuldade em andar. Esta alteração da marcha pode ser causada por desequilíbrios, por diminuição da força em uma das pernas ou mesmo por alterações na coordenação motora responsáveis pelo ato de andar. Neste último caso o paciente mantém a força preservada nos membros inferiores, porém anda de modo descoordenado; tem dificuldade em dar passos.

6 - Crise convulsiva: Alguns casos de AVC se manifestam como crise convulsiva, que são abalos motores generalizados associados à perda da consciência. A crise convulsiva pode ser um dos sintomas do AVC, mas pode também ser uma sequela. Alguns pacientes tornam-se epiléticos após um terem tido um AVC.
 

Fonte: MD.Saúde

Categorias: Saúde da Família.
Nenhum comentário registrado. Seja o primeiro a comentar! COMENTE



 

página anterior
próxima página